O aeroporto de Congonhas, em São Paulo, recebe nesta semana a maior feira de aviação executiva da América Latina. Em sua 15ª edição, a Labace (Latin American Business Aviation Conference & Exhibition) será aberta na terça-feira (14) com a expectativa de retomada no mercado da aviação de negócios no Brasil e de movimentar mais de R$ 1 bilhão em negócios.

No total, a feira deve reunir 47 aviões e helicópteros. Das mais de 90 empresas participantes da feira, 20 estarão na Labace pela primeira vez.

Um dos grandes destaques será o Dassault Falcon 8X, avaliado em US$ 57,5 milhões (R$ 222,2 milhões). Com capacidade para até 19 passageiros, o jato de três motores tem autonomia para voar de São Paulo a Moscou (Rússia) sem parar para reabastecer.

O jato tem cabine interna dividida em três áreas, além de uma cozinha completa e banheiro. Os dois sofás podem ser abertos e transformados em uma cama de casal. Os passageiros contam ainda com sistema individual de entretenimento a bordo, que permite acessar a Netflix.

A Embraer expõe pela primeira vez na Labace os jatos executivos Phenom 100EV, Phenom 300E e Legacy 650E com interior completo. Os aviões receberam recentemente inovações tecnológicas para melhorar o desempenho e uma nova configuração interna para aumentar o conforto dos passageiros.

Outra novidade da feira é o Cessna Citation Longitude. Será a primeira vez que o jato vem ao Brasil. Com capacidade para até 12 passageiros, o jato tem velocidade de cruzeiro de 880 km/h e pode percorrer mais de 6.000 quilômetros. É o maior jato executivo fabricado pela Cessna.

O helicóptero Bell 505 Jet Ranger X também vem ao Brasil pela primeira vez. Com capacidade para quatro passageiros, além do piloto, e velocidade máxima de 230 km/h, o helicóptero recebeu a certificação operacional no ano passado e tem mais de 30 encomendas no mercado brasileiro. O modelo é avaliado em US$ 1,1 milhão (R$ 4,2 milhões).

Avaliado em US$ 62,3 milhões (R$ 240 milhões), o Bombardier Global 6000 é o jato mais caro da Labace neste ano. Segundo a fabricante, o jato pode ligar São Paulo a Lisboa, Madrid, Nice ou Londres sem escalas, com oito passageiros e quatro tripulantes a bordo.

Primeiros sinais de recuperação do setor

O Brasil é dono da segunda maior frota do mundo da aviação geral, que inclui jatos executivos, helicópteros e aviões de pequeno porte. Dados de maio deste ano mostram que são 15.419 aeronaves em operação no país, sendo 769 jatos, 1.325 turboélices, 2.084 helicópteros, 11.201 aeronaves convencionais de pequeno porte e 40 aviões anfíbios.

Apesar de o tamanho da frota brasileira se manter estável nos últimos anos, o número de operações de pouso e decolagem vinha apresentando queda desde 2012. No ano passado, no entanto, o setor deu os primeiros sinais de recuperação, com crescimento de 13%. Em 2017, foram 583 mil pousos e decolagens, contra 514 mil do ano anterior.

O volume total de voos, no entanto, ainda está bem abaixo do pico de 2012. Naquele ano, houve 772 mil operações de pousos e decolagens na aviação geral. Os dados foram compilados pelo Instituto Brasileiro de Aviação nos 33 principais aeroportos do país, que abrangem 80% dos voos no Brasil.

Setor agrícola puxa crescimento

“Nosso negócio é totalmente ligado à economia do país. Com a perspectiva de crescimento, já vemos alguns sinais de melhora”, afirma Leonardo Fiuza, presidente do conselho da Abag (Associação Brasileira de Aviação Geral), organizadora da Labace.

O diretor-geral da Abag, Flavio Pires, afirma que o setor agrícola tem sido o responsável por garantir o crescimento da aviação geral no país. “A tendência é de melhora para os próximos meses graças ao setor agrícola”, afirma.

O presidente do conselho da Abag afirma que, apesar dos sinais de recuperação, ainda há incertezas do que pode acontecer no país nos próximos meses por conta das eleições. “Nosso crescimento depende de como a economia vai ser impactada com as eleições. Dependendo do impacto, a aviação geral também será afetada”, diz.

Labace (Latin American Business Aviation Conference & Exhibition)

Dias 14, 15 e 16 de agosto de 2018
Aeroporto de Congonhas – acesso pela Rua Tamoios, 361, Jardim Aeroporto, São Paulo
Horário: das 12h às 20h (dia 14) – das 12h às 19h (dias 15 e 16)
Ingressos: R$ 450 (compras somente pela internet)

ENTRE EM
CONTATO

Dúvidas sobre o evento, parcerias ou inscrições?
Entre em contato com a organização do LABACE 2018 utilizando o formulário ao lado.

 

Em breve, retornaremos o contato.



RECEBA NOSSAS INFORMAÇÕES

PATROCÍNIO

APOIO

REALIZAÇÃO

INFORMAÇÕES

+55 (11) 5032-2727
Fax +55 (11) 5031-1900
www.abag.org.br

ORGANIZAÇÃO

INFORMAÇÕES

+55 (11) 3056-6000
RAMAL: 8688
atendimento@mci-group.com
www.mcibrasil.com.br